Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrar

Moradores de distrito de Campinas tomam medidas para reduzir violência por conta própria.

Notícias 20 de maio de 2017

Os moradores do distrito do Campo Grande, em Campinas (SP), decidiram tomar medidas de segurança por conta própria para diminuir o risco de assaltos. De acordo com relatos da população da região à EPTV, afiliada da TV Globo, os estabelecimentos chegaram a contratar seguranças particulares e espalharam pelos bairros para evitar as abordagens. Além disso, as pessoas pararam de andar sozinhas e com dinheiro nos horários de maior risco – de manhã e no final da tarde.

Segundo a Prefeitura, o Campo Grande tem 190 mil moradores e é formado por 90 bairros. De acordo com levantamento da Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), a região teve aumento de 17% nos casos de roubo entre 2015 e 2016, passando de 749 para 876. No primeiro trimestre deste ano, a Polícia Civil registrou 233 ocorrências deste tipo no 11º DP, delegacia responsável pelos crimes do distrito.

O analista de sistemas Higor Ralla mudou os hábitos depois que foi assaltado no bairro onde mora. Ele decidiu não tirar mais o carro da garagem, colocou um cachorro dentro de casa e passou a fechar o portão da residência com correntes e cadeado. Segundo ele, o policiamento no local é muito insatisfatório.
“Está todo mundo com medo. É uma inversão de valores, as pessoas de bem, trabalhadoras, chegam em casa e têm que ficar trancadas. Aqui falta muito patrulhamento, o distrito cresceu muito nos últimos anos, vieram moradias novas para cá, e os equipamentos de segurança pública não cresceram na proporção do crescimento populacional”, afirmou.

A comerciante Neuza Conscetta é proprietária de um supermercado no distrito e foi uma das pessoas que decidiu contratar um segurança particular para proteger o estabelecimento. “A ideia é que ninguém saiba onde eles estão. Eles ficam no entorno, mas ninguém sabe quem é e como eles estão vestidos. Se não eles mesmos podem ser alvos, os crimes aqui estão crescendo muito”, explicou.

Presença do estado
O especialista em segurança pública, Fabrízio Rosa, informou que é a presença do estado, com patrulhamento da Polícia Militar, que pode diminuir a violência no local. “Embora não seja de competência da municipalidade, a Guarda Municipal também pode dar um apoio que, sem dúvida nenhuma, é muito importante”, disse.

O que diz a polícia
A Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP) afirmou que a Polícia Militar vai adequar o policiamento na região. Segundo levantamento da pasta estadual, os casos de roubo tiveram redução nos três primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período do ano passado.

Já a Guarda Municipal disse que possui uma base no Jardim Florence e que faz rondas constantes no local.

189 visualizações, 1 hoje

Aposentados já podem pedir isenção de IPTU

Notícias 17 de maio de 2017

Serviço Porta Aberta da Prefeitura, onde isenção pode ser solicitada
Os aposentados e pensionistas de Campinas que não são beneficiados com a isenção do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) já podem solicitar o benefício ao Município. O pedido deve ser protocolado até 30 de setembro, no serviço Porta Aberta da Prefeitura.
A isenção, caso seja concedida, terá início a partir do IPTU de 2018 e não se aplica às Taxas de Lixo e de Sinistro, segundo a Administração. Para ter direito ao benefício, o contribuinte deve observar os critérios estabelecidos, como: ser o proprietário e residir no imóvel e que este esteja classificado na categoria exclusivamente residencial. Outra regra é não possuir um segundo imóvel, além de receber exclusivamente renda previdenciária.
A relação completa dos documentos que devem ser apresentados, além de outras informações importantes para o contribuinte, estão disponíveis no Portal da Prefeitura, aqui.
A Prefeitura informa ainda que para os pedidos de aposentados e pensionistas com decisão favorável, não há necessidade de renovação anual da solicitação. E caso ocorra o falecimento do beneficiário da isenção do IPTU, seus herdeiros devem informar a Prefeitura e solicitar o cancelamento da isenção. No caso de venda do imóvel, é obrigação do contribuinte informar a Prefeitura sobre a mudança de titularidade.

174 visualizações, 1 hoje

Mãe e filho agredindo vice-diretora em escola de Campinas

Notícias 16 de fevereiro de 2017

Imagens das agressões a funcionária pública caíram nas redes sociais.

A câmera de segurança de uma escola estadual de Campinas (SP) registrou quando uma mulher e seu filho adolescente agrediram a vice-diretora da unidade com socos, chutes e empurrões. O vídeo foi parar nas redes sociais e a polícia investiga o caso. O nome da escola não foi divulgado.

Nas imagens é possível ver a mulher e o filho conversando com a vice-diretora em frente a secretaria da escola. A mulher segura uma criança de colo e, pouco tempo depois, passa o bebê para o rapaz e segue discutindo com a funcionária.

Tapas e empurrões
As mulheres conversam com mais alguém que está dentro da sala e que não aparece no vídeo. É nesse momento que começam as agressões. A mulher desfere vários tapas e empurra a vice-diretora contra a parede, que reage.

O adolescente deixa a criança no banco e também parte para a agressão, e a funcionária é alvo de mais chutes e empurrões. Algumas pessoas tentam separar, mas o jovem acerta um soco no rosto da vice-diretora, que cai.

Só após cair com o soco a funcionária foi socorrida, e a mulher e o adolescente levados para longe da secretaria. Procurada, a Diretoria Regional de Ensino de Campinas lamentou a conduta da mãe e do adolescente.

Não foi trabalhar
O órgão disse que a escola mantém medidas educacionais para que casos assim sejam evitados. A Diretoria de Ensino informou que acompanha o caso de perto e que estuda o que pode ser feito em relação ao menino. A vice-diretora passou por exame no Instituto Médico Legal (IML) e não foi trabalhar nesta quarta-feira (15/02).

 

181 visualizações, 1 hoje

Clientes são extorquidos em casa no Itatinga

Notícias 5 de fevereiro de 2017

Clientes são extorquidos em casa no Itatinga, Clientes são extorquidos em casa no Itatinga, Duas pessoas foram presas sábado (4) acusadas de extorquirem dois homens dentro de uma boate no Jardim Itatinga, em Campinas. A Guarda Municipal foi até o local depois de receber denúncias anônimas de que as vítimas estariam sob cárcere privado e sofrendo agressões no interior do estabelecimento. No local, os agentes encontraram duas pessoas dentro de um veículo que seria das vítimas, que estavam dentro da boate. Segundo relato dos guardas municipais, o estabelecimento estava exigindo o pagamento de R$ 14 mil, sendo que R$ 5 mil já tinha sido debitado em cartão de débito. As duas pessoas foram encaminhadas à 2ª Delegacia Seccional de Campinas, onde foram presos em flagrante por extorsão. Esta não é a primeira vez que casos de extorsão são registrados no Jardim Itatinga. Só em outubro do ano passado, a polícia registrou duas ocorrências em menos de 15 dias. No primeiro caso, quatro homens e duas mulheres foram presos pela Polícia Militar. Na segunda ocorrência, outros dois homens também acabaram presos. Na época, policiais informaram que a modalidade está se tornando comum nas casas de prostituição. A polícia acredita que as garotas de programa tenham participação nos golpes. Ao pagarem a conta, os clientes percebem que os preços estão superfaturados e que não consumiram boa parte do produtos que são cobrados., campinas, clientes são extorquidos, jardim itatinga, Notícias, campinas, clientes são extorquidos, jardim itatinga, Notícias

1134 visualizações, 1 hoje

Trampo é coisa rara

Empregos 5 de fevereiro de 2017

Fazia tempo que a região de Campinas não tinha tanto desocupado. O ano de 2016 terminou com 227.169 trabalhadores sem trampo, o maior número desde 2000. A taxa de desocupação chegou a 12,11% da População Economicamente Ativa. Há apenas 4 anos, a região vivia uma situação bem diferente. Quase não tinha desemprego. Mas de 2010 para cá, o número de gente sem uma ocupação e o índice de desemprego mais do que triplicaram.
As crises política e econômica criaram um tsunami no mercado de trabalho e provocaram a perda de milhões de postos de trabalho formais em todo o País. Na Região Metropolitana de Campinas, apenas o setor agropecuário gerou vagas no ano passado, ainda assim insuficiente para recuperar os postos perdidos em 2015.
Especialista acha que a situação só vai melhorar a partir de 2018
Quem espera uma situação melhor em 2017, vai cair do cavalo, segundo o coordenador do Departamento de Economia da Acic, Laerte Martins. “A situação só piorou desde de 2013 e não há perspectivas neste ano de uma retomada da economia que promova um aumento dos postos de trabalho suficiente para recolocar os milhões de desempregados. A partir de 2018, talvez o País comece a crescer em ritmo que permita repor uma parte das vagas perdidas”, analisou. Martins ressaltou que o Brasil está na contramão de grandes potências como os Estados Unidos que estão com um índice de desemprego baixo de apenas 4%. “Os números do mercado de trabalho do País mostram a estagnação da economia”, completou.

201 visualizações, 2 hoje

Página 1 de 31 2 3

Anuncie agora mesmo

Portal do Campo Grande, Campinas-SP

Facebook